02.03.2017 | SMUP, Parede (2)

AFF trio
com with Francisco Andrade, Marco Franco

fotografia photo Cláudio Rego

 

 

 


20.03.2017

02.03.2017 | SMUP, Parede (1)

AFF trio
com with Francisco Andrade, Marco Franco

fotografia photo Sílvia Tengner





06.03.2017

AFF trio | SMUP

2 Março 2017 | 22:00 | SMUP, Parede


AFF trio
Francisco Andrade - saxofone alto/tenor
Ricardo A. Freitas - baixo eléctrico
Marco Franco - bateria
Três músicos eclécticos em improvisação livre, o que farão ao momento pertence. Poder-se-á insinuar a fluidez e entrega enérgica de Francisco Andrade, as linhas esquivas e obliquas de Ricardo A. Freitas e a intuição sábia da polirritmia livre de Marco Franco.



09.02.2017

Ida para Angola

"Cruzeiro Seixas - As cartas do rei Artur" (2016)
Documentário | Cláudia Rita Oliveira




04.01.2017

Impro-Wise

17 Dezembro 2016 | 15-18:00 | ACCCA, Bairro Alto, Lisboa



Sessões de improvisação em dança, onde o movimento é a base da pesquisa e criação.
A primeira parte é composta por um aquecimento dirigido, que despertará a atenção sobre o corpo, o espaço, o tempo e os restantes participantes, na procura de um sentido de coletivo. De seguida, serão dadas um conjunto de tarefas/propostas relacionadas com alguns temas da improvisação que terá lugar logo de seguida, em formato aberto, e com música ao vivo.
Estas sessões têm um princípio, meio e fim, não sendo por isso necessário ter participado em sessões prévias. Destinam-se a todos os interessados (e curiosos) em movimento, dança, teatro e técnicas de improvisação.
Nível aberto a todas as idades e formações.
Orientação: Marina Nabais


14.12.2016 

Lisbon Soundpainting Orchestra (LSO) | EKA Palace

16 Dezembro 2016 | 21:00 | EKA Palace, Lisboa



Lisbon Soundpainting Orchestra (LSO)
Novo projeto com novos artistas
François Choiselat (com vários músicos e bailarinos...)


14.12.2016

Al-jiçç

20 Outubro | 19:00 | Museu Nacional da Música | Lisboa



Al-jiçç é um projeto musical que tem como mote a criação de melodias originais de inspiração mediterrânica a partir de escalas judaicas, árabes ou ciganas, que servem de mote para improvisações modais ou livres num contexto rítmico contemporâneo. Da fusão destes elementos resulta uma música livre, espontânea e sem fronteiras que poderá ser ouvida no Museu Nacional da Música, num concerto onde apresentarão o álbum ‘Livro de Areia’. Organização: Associação dos Amigos do Museu Nacional da Música. Bilhetes - Normal 5,00 / Sócio - 3,00.
AL-JIÇÇ
Gonçalo Lopes - clarinete
Nuno Damião - guitarra eléctrica, composição
Ricardo Freitas - baixo eléctrico
Jorge Lopes Trigo - bateria 


20.10.2016

Soma nº 4 | Zaratan

7 de Outubro | 19:00 | Zaratan, Lisboa

A Associação Terapêutica do Ruído e a Zaratan apresentam “S.O.M.A. - Sound Over Multimedia Art”, um ciclo musical a acontecer mensalmente na Zaratan que celebra a experimentação audiovisual, abraçando uma série de projectos musicais que integram uma componente visual essencial na sua actuação ao vivo, pesquisando assim as sobreposições e as somas entre as frequências das ondas sonoras e os comprimentos das ondas de luz, numa tentativa de tornar audível o visível e/ou visível o audível.

Mia Zabelka é uma artista sonora, improvisadora e compositora clássica austríaca. Vocalista e violinista. Colabora regularmente com artistas de todo o mundo e de todas as áreas, entre os quais Lydia Lunch, John Russel ou o português Carlos Zíngaro.
Em visita a Portugal, Zabelka junta-se à violinista Maria do Mar e convida alguma da nata da improvisação nacional que de forma geral já tem participado noutras sessões terapêuticas de ruído. São eles Maria Radich, vocalista, Luís Lopes, guitarrista e Ricardo Freitas, baixista. Este encontro será ainda acompanhado por vídeos de Gavino Canu, artista visual da Sardenha (Itália) que tem colaborado com Zabelka.

Musgos é um projecto de música instrumental que se funde com imagens vídeo. Os temas compostos criam paisagens auditivas, exprimindo momentos relacionados com a proximidade da natureza e momentos de experiências vividas. Há também um segundo lado em que o vídeo (filmado em super8) tem um papel mais fucral, onde a música segue a imagem em movimento, tornando-se numa banda sonora de improvisação. Musicalmente são ambiências em que o tempo deixa de ser linear e as melodias se tornam dissonantes, originando momentos de verdadeira comunicação através dos instrumentos e das projecções.

Mia Zabelka - violino
Maria do Mar - violino
Maria Radich - voz
Luís Lopes - guitarra eléctrica
Ricardo A. Freitas - baixo
+
Musgos


04.10.2016

Filmes Pedidos | Outubro 2016

01 | 16:00 | Teatro Viriato | Viseu
09 | 15:00 | Cine-Teatro Curvo Semedo | Montemor-o-Novo
28 | 14:30 | 21:30 | Teatro Virgínia | Torres Novas



No tempo do mudo, do nascimento do cinema, o silêncio do filme assusta! Surgem os músicos acompanhadores de filmes que, no encontro com a imagem, transformam improvisação em composição. Neste espetáculo, uma banda desconhece o filme que está prestes a musicar - conta com o seu reportório temático original e uma ilimitada liberdade para acompanhar as imagens. No início os espectadores democraticamente escolhem o filme que querem ver e o imprevisível encontro de sons e imagens começa. Um filme-concerto onde os espectadores escolhem os filmes que regressa ao Teatro Viriato, agora para famílias e público em geral.
António-Pedro - bateria, percussões, melódica e voz
Eduardo Raon - harpa e eletrónica, daxofone, stylophone e voz
Ricardo Freitas - baixo acústico, efeitos e voz
Marta Azenha - apresentação e locução de intertítulos

António-Pedro - conceito e direção artística
Caroline Bergeron - colaboração
Nuno Sena - curadoria dos filmes
Zafu Futon - figurinos
Maria João Garcia - produção executiva
Produção Companhia Caótica
Coprodução Teatro Viriato
Criado sob encomenda do Centro Cultural de Belém/Fábrica das Artes (2015)

29.09.2016

"Sonatina" | Negócio ZDB

14 a 17 de Setembro 2016 - quarta a sábado às 21h30
Sonatina Projecto Ruínas



A escolha desta novela gráfica começou por ser um desafio em torno da sua adaptação como espectáculo teatral. Sem qualquer antecedente, iniciámos os ensaios sem ideias definitivas. Transpôr o universo visual do texto para a cena parecia uma tarefa impossível. Concentrámo-nos então no aspecto musical: da palavra e do silêncio. Criámos uma narrativa alternativa que permitia que o discurso do narrador quebrasse as barreiras temporais, que se confundissem os planos, que se diluíssem as identidades das personagens. Descobrimos sentidos que estavam escondidos por detrás dos cenários minuciosamente compostos pelo autor, e dos acontecimentos relatados com indiferença. Aos poucos tornámos o texto nosso. Decorámos e iluminámos o cenário, introduzimos uma banda sonora ao vivo, criámos personagens, inventámos um espectáculo.
texto original: José M. Gervásio
adaptação e encenação: Francisco Campos
interpretação: Francisco Campos, Joana Bárcia, Ricardo Freitas
desenho luz: Nuno Patinho
espaço cénico: Nuno Borda de Água
grafismo: Miguel Rocha
registo e edição: Rodolfo Pimenta
produção: Catarina Caetano, Bruno Coelho
financiamento: Município de Montemor-o-Novo, SEC – Direcção Geral das Artes
apoio: Oficinas do Convento
estrutura associada: O Espaço do Tempo
Estreia Espaço do Tempo, Montemor-o-Novo, de 21 a 24 de Outubro de 2015

10.09.2016

Cidade PréOcupada | CURTAS | Montemor-O-Novo

Festival Cidade PréOcupada | Oficinas do Convento, Montemor-o-Novo
Vídeos-resumo dos dias 2 e 3 | 16-17 Junho 2016
CURTAS | Projecto Ruínas

16.06.2016
L I F E L E S S | Eduardo Breda
À FALTA DE TEMPO | Beatriz Wellenkamp Carretas
LA CENA | Joana Campelo

17.06.2016 
O HOMEM PERFEITO | Zé Bernardino
PALESTRA SOBRE O . | Ana Vilela da Costa
TIQUE-TAQUE | Ricardo Freitas


20.06.2016

CURTAS | Laboratório de Criação | Espaço do Tempo

16-17 Junho June 2016 | 22h00
Festival Cidade PreOcupada | Oficinas do Convento, Montemor-o-Novo



Seis criadores, seis curtas. O Projecto Ruínas convida Ana Vilela da Costa, Beatriz Wellenkamp Carretas, Eduardo Breda, Joana Campelo, Ricardo Freitas e Zé Bernardino para um Laboratório de Criação de CURTAS, a decorrer no Espaço do Tempo durante duas semanas. Dirigido por Francisco Campos, este laboratório pretende reunir diferentes artistas na construção de seis propostas performáticas que serão apresentadas nos dias 16 e 17 de Junho no Festival Cidade Pre0cupada, em Montemor-o-Novo.
direcção: Francisco Campos
criação, interpretação: Ana Vilela da Costa, Beatriz Wellenkamp Carretas, Eduardo Breda, Joana Campelo, Zé Bernardino, Ricardo Freitas, Francisco Campos
estrutura associada: Espaço do Tempo
produção: Projecto Ruínas

01.06.2016

Sonatina | Projecto Ruínas | S. Cristóvão

Ciclo da Primavera do Município de Montemor-o-Novo
14 Maio 2016 | 21h30



A partir da obra inédita de José Miguel Gervásio, SONATINA é uma história de amor entre duas pessoas marcadas pelo desejo pela normalidade na vida. Ele: um tipo contemplativo, sem chama e sem ritmo, envolve-se com uma mulher no final de uma matiné dançante. Ela: dactilógrafa humilde mas independente, seduz sem convicção um dos muitos homens com quem se cruza no bailarico dos sábados à tarde. Acordam juntos, quase por engano ou por desprezo, e assim viverão um amor prático e delicado por alguns meses que um dia acabará. Uma relação com data marcada, daquelas que deixam marcas.
texto original: José M​iguel​ Gervásio
adaptação: Francisco Campos
interpretação: Francisco Campos, Joana Bárcia e Ricardo Freitas
desenho de Luz: Nuno Patinho
espaço cénico: Nuno Borda de Água
grafismo: Miguel Rocha
registo e edição: Rodolfo Pimenta
produção: Catarina Caetano e Sandra Coelho
apoios: Município de Montemor-o-Novo - Direcção Geral das Artes - Plansel - Oficinas do Convento
estrutura associada: O Espaço do Tempo Ano
Projecto Ruínas 2015


10.05.2016 

Ângela Orbay | A Peregrina

1 de Maio de 2016
Uma 'freelancer' a recibos verdes, a peregrina é uma chula da sorte, diz que deus, diz que dá, diz que deus dará, precariedade de viver da chulice do céu, até quando...
Ângela Orbay -texto, voz, música
Ricardo Freitas - baixo, percussão, arranjo
Ângela Orbay | A Peregrina (The Pilgrim Woman)
1st of May 2016
Ângela Orbay - text, voice, music
Ricardo Freitas - bass, percussion, arrangement



01.05.2016

A Viagem | Filipa Francisco | Sever do Vouga

Centro de Artes do Espectáculo
2016 Março March | 19 | 22h | 20 | 16h



A VIAGEM | concepção, direcção artística: Filipa Francisco | música original: António Pedro | direcção musical: Ricardo Freitas | interpretação: David Marques, Susana Gaspar, Grupo Folclórico Rocas do Vouga | assistência artística: Pietro Romani | figurinos: Ainhoa Vidal | luz, direcção técnica: Mafalda Oliveira | som: Ricardo Figueiredo | produção executiva: Patrícia Bento | produção e difusão: Materiais Diversos


15.03.2016

Filmes Pedidos | Teatro São Luiz

17-21 Fevereiro February 2016 | Qua-Sex 10h30 / Sab-Dom 16h00
Teatro São Luiz - Sala Mário Viegas, Lisboa



FILMES PEDIDOS REQUESTED MOVIES
direcção artística artistic direction: António Pedro
curadoria de filmes film curatorship: Nuno Sena (Indie Lisboa)
produção production: Companhia Caótica
António Pedro - bateria, percussões, melódica, voz
drums, percussions, melodica, voice
Eduardo Raon - harpa, electrónica, daxofone, efeitos, voz
harp, electronics, daxophone, effects, voice
Ricardo Freitas - baixo acústico, efeitos, voz
acoustic bass, effects, voice
Marta Azenha - apresentação, locução
presentation, locution


15.02.2016

O Espaço do Tempo | Montemor-o-Novo

29 Setembro - 24 Outubro 2015
Residência Projecto Ruínas | Espaço do Tempo | Montemor-o-Novo

Francisco Campos, Joana Bárcia, Nuno Patinho, Nuno Borda de Água, Miguel Rocha, Rudolfo Pimenta, Catarina Caetano...

 

 

 

 

 

                                

 

 


06.11.2015

Sonatina | Projecto Ruínas

21-24 Outubro, 21h30
Espaço do Tempo | Convento da Saudação | Montemor-o-Novo



A partir da obra inédita de José Miguel Gervásio, "Sonatina" é uma história de amor entre duas pessoas marcadas pelo desejo pela normalidade na vida. Ele: um tipo contemplativo, sem chama e sem ritmo, envolve-se com uma mulher no final de uma matiné dançante. Ela: dactilógrafa humilde mas independente, seduz sem convicção um dos muitos homens com quem se cruza no bailarico dos sábados à tarde. Acordam juntos, quase por engano ou por desprezo, e assim viverão um amor prático e delicado por alguns meses que um dia acabará.Uma relação com data marcada, daquelas que deixam marcas.
texto original: José M. Gervásio
adaptação e encenação: Francisco Campos
interpretação: Francisco Campos, Joana Bárcia e Ricardo Freitas
desenho luz: Nuno Patinho
espaço cénico: Nuno Borda de Água
grafismo: Miguel Rocha
registo e edição: Rudolfo Pimenta
produção executiva: Catarina Caetano e Sandra Coelho
apoios: Município de Montemor-o-Novo, Secretaria de Estado da Cultura - Direcção Geral das Artes, Plansel, Oficinas do Convento
estrutura associada: O Espaço do Tempo


19.10.2015 

2º Festiva de Jazz e Música Improvisada da Parede

25-26 Setembro September 2015
SMUP | R. Marquês de Pombal, nº 319 | Parede



25 Setembro, sexta, 22h
22h | Palco | ABDUL MOIMÊME / EDUARDO CHAGAS
23h | Salão | SIGNS OF THE SILHOUETTE & HERNÂNI FAUSTINO
26 Setembro, sábado, 17h
17h | Sótão | MARIA RADICH / JOSÉ BRUNO PARRINHA
18h | Sótão | MARIA DO MAR / RICARDO RIBEIRO / RICARDO A. FREITAS
26 Setembro, sábado, 22h
22h | Palco | PAULO CURADO TRIO
23h | Salão | ZNGR ELECTRO-ACOUSTIC ENSEMBLE
Produção: Cultura no Muro | Programação: Rui Eduardo Paes


21.09.2015

Andrade Freitas Franco

30 Julho July 2015 | 22h | DARC | Lisboa

fotos//photos Luiz Rocha, Anabela Carreira, Nuno Martins
fotos photos Luiz Rocha, Anabela Carreira, Nuno Martins

A primeira vez de um trio, aqui em improvisação livre, três músicos eclécticos capazes de tocar diferentes cordas do universo musical. Naturalmente música não apriorística, indefinível e sem uma experiência anterior. Poderemos no entanto contar com a fluidez, por vezes torrencial, e a entrega enérgica de Francisco Andrade, as linhas de baixo esquivas e obliquas, mas também ancoradas nos seus graves, de Ricardo A. Freitas e a intuição sábia da polirritmia livre de Marco Franco, o seu sentido oportunidade interligado com a sensibilidade ao timbre e às dinâmicas.
Francisco Andrade - saxofone tenor tenor saxophone
Ricardo A. Freitas - baixo eléctrico electric bass
Marco Franco - bateria drums
A trio's first time, in form of free improvisation, three eclectic musicians able to pull different strings from the musical universe. Naturally not aprioristic music, undefinable and with no story yet to tell. However we can count on the fluidity, sometimes turned torrential, and the energetic commitment by Francisco Andrade, the elusive and oblique, but also deep anchored bass lines by Ricardo A. Freitas and the wise intuition of Marco Franco’s free polyrhythms, his sense of opportunity interconnected with sensitivity to timbre and dynamics.

A Viagem | Filipa Francisco | Ovar

FESTA 2015 | 18 Julho, 17h | Ovar



A VIAGEM problematiza o modo como as manifestações populares aderem e procuram a modernidade, originando novos significados, permitindo nova apropriação e novo entendimento do seu papel nos dias hoje. O desejo de trabalhar com grupos de dança tradicional nasceu em viagem. Na primavera de 2009, a convite do Festival de Dança Contemporânea de Ramalla, Filipa Francisco conhece a Companhia de Dança Tradicional e Contemporânea El-Funoun. “Ao viajar com o grupo pela Palestina, ao assistir aos seus espetáculos em pequenas aldeias, apercebi-me do poder da dança tradicional. Esta dança toca questões tão atuais como entidade, género e liberdade. O ato de Dançar para estes jovens era na verdade um grito de liberdade. Uma forma de se libertarem das memórias duras da guerra”. Desta experiência nasce a consciência de que a dança tradicional não tem como fatalidade permanecer à margem da modernidade (nem tão pouco a modernização passa pela anulação das tradições). Sendo uma prática atual, obedece a regras e conjuga outras práticas e processos sociais. É pois neste sentido que o presente projeto ganha particular relevância.
concepção e direcção artística: Filipa Francisco
música original e direcção: António Pedro
direcção musical: Ricardo Freitas
interpretação: Susana Gaspar, Bruno Alexandre, Grupo Folclorico Os Fogueteiros de Arada (rua), Grupo de Folclore Casa do Povo de Válega (palco)
assistência de direcção artística: Pietro Romani
figurinos: Ainhoa Vidal
desenho de luz e direcção técnica: Mafalda Oliveira
desenho de som: Ricardo Figueiredo
produção executiva: Filipa Achega
produção e difusão: Materiais Diversos
co-produção Mundo em Reboliço, Festival Materiais Diversos, Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura, Teatro Virgínia (Torres Novas)
projeto financiado pela Presidência do Conselho de Ministros/Secretaria de Estado da Cultura – DG Artes

IntErLúNio – L’ennui riot | The Jazz Spot

IntErLúNio – "L’ennui riot"
2011, JACC Records 0011 CD, Por













Formado em 2006, este interessante projecto denominado IntErLúNio (que significa o periodo em que a lua não é visível) dá voz a um intercâmbio luso-alemão desempenhado por um conjunto de músicos com trajectos distintos.

Formed in 2006, this interesting project called IntErLúNio (meaning, the period when moon is not visible) gives voice to a Portuguese-German interchange with musicians of different origins and backgrounds.

Filmes Pedidos | António Pedro

25-26 Abril April 2015, 11h, 15h | Dias da Música | Centro Cultural de Belém | Lisboa



FILMES PEDIDOS REQUESTED MOVIES
direcção artística artistic direction: António Pedro
curadoria de filmes film curatorship: Nuno Sena (Indie Lisboa)
produção production: Companhia Caótica
António Pedro - bateria, percussões, melódica, voz
drums, percussions, melodica, voice
Eduardo Raon - harpa, electrónica, daxofone, efeitos, voz
harp, electronics, daxophone, effects, voice
Ricardo Freitas - baixo acústico, efeitos, voz
acoustic bass, effects, voice
Marta Azenha - apresentação, locução
presentation, locution
Um filme-concerto em que os espectadores escolhem os filmes. No tempo do mudo, do nascimento do cinema, o silêncio do filme assusta! Surgem os músicos acompanhadores de filmes que, no encontro com a imagem, transformam improvisação em composição. Com estreias quase todas as semanas, estes músicos organizam reportório por temas que depois adaptam a cada novo filme que chega: Ação, Misterioso, Ameaça, Peripécias, Romance... Munida de um reportório temático original, uma banda desconhece o filme que está prestes e musicar. No início os espectadores democraticamente escolhem o filme que querem ver e o imprevisível encontro de sons e imagens começa...

Maria do Mar / Ricardo A. Freitas / Carlos Godinho

16 Abril April 2015 | 22h | DARC | Lisboa


fotos photos Nuno Martins
Maria do Mar - violino violin
Ricardo A. Freitas - baixo acústico acoustic bass
Carlos Godinho - percussão percussion

Maria do Mar / Ricardo Ribeiro / Marcelo dos Reis / Ricardo A. Freitas

14 Março March 2015 | 22h | "Lobo Solitário" | Clube Recreativo dos Anjos | Lisboa


fotos photos Nuno Martins

MAR RIBEIRO REIS FREITAS
Maria do Mar - violino violin
Ricardo Ribeiro - clarinete clarinet
Marcelo dos Reis - guitarra acústica acoustic guitar
Ricardo A. Freitas - baixo acústico acoustic bass

CIRERA MOIMÊME ROSSO
Albert Cirera - saxofones soprano e tenor soprano & tenor saxophones
Abdul Moimême - guitarra preparada, objectos prepared guitar, objects
Alvaro Rosso - contrabaixo double bass

27.09.2014 | Casa da Cerca, Almada

"Os Ouvidos têm Paredes"
com with Maria do Mar, Ricardo Ribeiro

fotografia photo Ângela Orbay